Expectativa de US$ 12,5 milhões para o couro do Brasil

A China é o maior importador de couros do Brasil e, ao mesmo tempo, é um parceiro com diferenças culturais e geograficamente distante dos curtumes brasileiros. A Missão Comercial China permitiu uma importante aproximação institucional entre os dois países e oportunizou novos contatos entre fornecedores do Brasil e possíveis clientes do país asiático. A missão foi organizada pelo projeto Brazilian Leather – iniciativa do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para o incentivo às vendas deste produto nacional no Exterior.

Com as visitas e rodadas de negócios em indústrias calçadistas, de móveis, vestuário e artefatos localizadas na região de Dongguan, foi possível comercializar US$ 2,6 milhões em couros do Brasil e ter a expectativa de geração de US$ 12,5 milhões para os próximos 12 meses em exportações para os oito curtumes participantes. As atividades da missão priorizaram o relacionamento e a oportunidade de exposição das empresas brasileiras que, em cada visita, tiveram momentos específicos para apresentar suas empresas aos compradores chineses. “Houve uma aproximação institucional importante para o couro brasileiro nesta missão; algo que, sozinhos, não conseguiríamos atingir”, destacou Diego Nimo, do Curtume Nimo.

Em 2016, a China (incluindo Hong Kong) importou do Brasil US$ 675,7 milhões em couros e peles, representando 33,2% do total das exportações brasileiras. Em área, foram 65,6 milhões de metros quadrados. Quase 60% das importações de couros da China a partir do Brasil são nas formas acabada ou semiacabada, ou seja, com maior valor agregado.

Veja os participantes da Missão Comercial China:

America Leather
CBR Group – Couros Bom Retiro
Coming Ind. Com. de Couros
Courovale by BCM
Curtume Nimo
H.Y. Leatherex
JBS Couros
Soubach Special Leathers
CICB / Brazilian Leather

Fonte: Apex Brasil